ENDOMETRIOSE

A endometriose é uma doença representada pela presença de tecido, com características do endométrio, fora da cavidade uterina. Esse endométrio ectópico é semelhante ao endométrio tópico, isto é, tem fase proliferativa, secretora e descamação com sangramento. Essa doença acomete de 10 a 15% da população feminina em idade reprodutiva e em qualquer lugar no mundo. A doença leva de 7 a 10 anos para ser diagnosticada.

É considerada profunda, quando penetra mais de 5 mm no tecido. Por isso, quando no exame físico percebemos as lesões, denominamos de endometriose profunda, pois, para percebermos alguma alteração no toque, certamente a lesão tem mais de 5mm.

Videolaparoscopia em pacientes com endometriose

A videolaparoscopia pode ser indicada para mulheres que sofrem dessa doença, caracterizada pela presença do endométrio – camada que reveste o útero e é eliminada na menstruação-fora da cavidade uterina, prejudicando o funcionamento do sistema reprodutor feminino e de outros órgãos.

Essa intervenção cirúrgica pode ser realizada em pacientes, nas quais o tratamento hormonal convencional não promoveu melhora de sintomas de maneira efetiva. Ela também pode ser realizada para identificar e eliminar os focos de endometriose, reduzindo sintomas e aumentando a chance de engravidar, além de preservar órgãos que podem ser danificados com a progressão da doença. O procedimento é realizado por meio de pequenas incisões na região abdominal, onde é inserido o aparelho com uma câmera que guiará o médico durante a cirurgia, que consiste em cauterizar os tecidos danificados e retirar as aderências do endométrio ocasionadas pela endometriose.

Embora seja um procedimento minimamente invasivo e, geralmente, com menor duração que a cirurgia convencional, deve ser realizado em ambiente hospitalar sob anestesia geral. A alta costuma ser dada após 24 horas. A recuperação da videolaparoscopia pode variar de uma semana a 30 dias. Durante esse período, a mulher deve evitar esforços físicos como:
• Exercícios físicos
• Atividades domésticas
• Ter relações sexuais
• Dirigir
• Trabalhar

É permitido somente alternar o repouso com caminhadas curtas e leves, que podem ser benéficas para a eliminação de gases que se acumulam na região abdominal após esse tipo de cirurgia e que também auxiliam na circulação sanguínea, fundamental para a recuperação e bom funcionamento dos tecidos afetados pelo procedimento.
Mesmo se tratando de uma cirurgia minimamente invasiva, sem a necessidade de grandes incisões, ela extrai tecidos e aderências em órgãos e, por esse motivo, o repouso para cicatrização correta dos tecidos é essencial para que os resultados esperados sejam atingidos e que a saúde da paciente seja preservada.